PORT LOUIS

Museus da Marinha e da Companhia das Índias:

www.musee-marine.fr  

 

Do outro lado da baia, fica a cidade murada de Port Louis, que ainda preserva um grande forte e a maior parte das muralhas. Assim como a arquitetura bretã, com suas casas de paredes brancas muito grossas e telhados inclinados de chapinhas de ardósia preta.

Vista da cidade a partir do Forte. 

É uma cidade pequena e muito bonita, no verdadeiro estilo Bretão e como era o mês de agosto, estava toda florida!!

Rua de Port Louis.

Em Port Louis e em Lorient eram construídos os navios para a "Compagnie de Indes", Companhia das Índias.

O "Museu da Marinha" e da "Companhia das Índias", localizados neste forte, são magníficos.

Entrada do Forte, onde estão os museus.

Vista do Forte vindo de Lorient.

Têm maquetes fantásticas, mostrando como eram os estaleiros, nos mínimos detalhes: as carreiras, a fabricação dos mastros e das cavernas, das ferragens, a montagem dos navios, tudo muito perfeito! Infelizmente não é possível fotografar!!

Vimos também instrumentos antigos de navegação, octantes e sextantes de várias épocas e materiais, astrolábios, bússolas, cartas náuticas... Havia também muitas miniaturas de navios de diferentes tipos, nacionalidades e épocas, algumas feitas atualmente mas outras muito antigas, excepcionalmente bem conservadas, por exemplo: a miniatura de um navio de 1680, feita em 1700.  Incrível!!

Veleiro antigo no Porto de Port Louis.

Outro setor mostrava a evolução da Marinha Francesa, desde os primeiros procedimentos de salvamente, para barcos pesqueiros, lá pelo final  de 1800, até o super moderno mini-submarino, chamado é claro, de "Jules"(de Julio Verne), especializado no resgate de naufrágios a grandes profundidades, com braços e mãos que pegam as peças e colocam em caixas numeradas para depois serem trazidas a superfície e catalogadas. Com ele também é possível retirar porções da madeira do casco a fim de saber a origem e data do navio!!

A técnica de busca de naufrágios é extremamente complexa, até chegar o momento do mergulho no mar, pode levar vários anos de pesquisas históricas, comerciais e de guerra, além das buscas com sondas especiais que fazem uma varredura no fundo do mar.

Outra vista do Forte de Port Louis.

A parte da Companhia das Índias não fica por menos, miniaturas dos navios que costumavam fazer as rotas, com cortes longitudinais, mostrando onde e como se localizavam as cargas, as partes dos navios, com cabines, depósitos, despensas e cozinhas, tudo, maravilhoso! Várias vitrines mostrando com pequenos bonecos, caracterizados como cada tipo de marinheiro se vestia, nos seus locais de trabalho, em miniatura também, como convés, despensas, cozinha, cabine dos oficiais e do comandante.

A exposição dos objetos comerciados é de babar!! Móveis, porcelanas, sedas, artesanatos, tudo lindíssimo e bem conservado.Os orientais faziam vestidos, sob encomenda, de cortes ocidentais com bordados e detalhes tradicionais, uma mistura fantástica. Inclusive móveis eram produzidos assim também, sofás, 'chaises longues', armários... O contrário também estava presente, os tradicionais tapetes, com motivos ocidentais, lindos!   

A travessia até Port Louis, é em um barco de linha, em 20min, pois para ir por terra, perde-se mais de uma hora no percurso, pois devemos contornar toda a baia. Durante a navegada, passamos ao largo pela praia vizinha, "Larmor Plage", onde avistamos um "mar de mastros", o que nos deixou impressionados...

Vista de Larmor Plage, vindo de barco de Lorient para Port Louis.

Depois, ao longo da viagem, vimos que esta é uma visão normal, pois a briga por um "lugar ao mar" é grande por aqui! Em todos os lugares que fomos, da França, Espanha e Portugal, as marinas são sempre super lotadas!



09/01/2010
1 Poster un commentaire

A découvrir aussi


Inscrivez-vous au blog

Soyez prévenu par email des prochaines mises à jour

Rejoignez les 3 autres membres